PARA SER FELIZ

Não te descuide da hora livre;
da conversa banal;
da amizade de ocasião;
da distração vaga;
do pensamento solto;
do olhar displicente;
da emoção livre;
da relação informal.

Para que depois não te assalte o ócio;
não te martirize o tédio:
não te aflija o remorso;
não te fira a solidão;
não te surpreenda o desprezo;
não te domine o vício;
não te curve o fracasso;
não se desfaça a alegria.

André Luiz

Published in: on janeiro 31, 2011 at 11:35 am  Deixe um comentário  

Henri Cartier-Bresson

Foi no silêncio de um espectador chamado Henri Cartier-Bresson que com uma máquina fotográfica nas mãos e seu olhar treinado escreveu poesias com a luz, um alquimista sem o imaginário das cores.

Fotos de Bresson, mestre da fotografia mundial no qual sou fã:


Published in: on junho 14, 2010 at 7:45 pm  Deixe um comentário  

Poema dos olhos da amada

Ó minha amada
Que olhos os teus
São cais noturnos
Cheios de adeus
São docas mansas
Trilhando luzes
Que brilham longe
Longe nos breus…

Ó minha amada
Que olhos os teus
Quanto mistério
Nos olhos teus
Quantos saveiros
Quantos navios
Quantos naufrágios
Nos olhos teus…

Ó minha amada
Que olhos os teus
Se Deus houvera
Fizera-os Deus
Pois não os fizera
Quem não soubera
Que há muitas eras
Nos olhos teus.

Ah, minha amada
De olhos ateus
Cria a esperança
Nos olhos meus
De verem um dia
O olhar mendigo
Da poesia
Nos olhos teus.

in “Novos Poemas (II)
in “Poesia completa e prosa: “Poesia varia””
in “Poesia completa e prosa: “Cancioneiro””

Do site http://www.viniciusdemoraes.com.br

Published in: on junho 11, 2010 at 4:22 pm  Deixe um comentário