Adriano

E agora Adriano?
O vinho acabou
a música acabou
seu amigos já se foram
sua mãe casou
seu irmão casou
que vida você tomou?
O riso acabou
seu filho se foi
a tristeza ficou
seu par, que par?
Sua dignidade e amor
tudo se foi  o que ficou?
A dor ficou
tudo se foi
se foi tudo
roupa, tênis e objetos
que vida levou?
A morte não veio
o dia não veio
o ônibus não veio

A sorte não veio
seu olhar apagou
mas você não morre?
É duro, imortal
o sofrimento é imortal
perdido no labirinto
a droga restou
aspira a insônia
que agonia e dor
o que restou?
sonhos restou
que sonhou são estes
que só são sonhos
procuras o nada
achas o nada
E agora Adriano?
Ninguém te escuta
ninguém te vê
ninguém sabe de você
mas você tá aqui
invisível na solidão
E agora Adriano?
Se gritasse
se mudasse de ar
parasse de respirar
perdido no escuro
cavalga solitário
aonde vais Adriano?
Pra onde?

*Inspirado na poesia “José” de Carlos Drummond de Andrade.

Published in: Sem categoria on junho 24, 2010 at 2:37 pm  Deixe um comentário  

O inverno

Chegou o inverno
estação do calor
onde as pessoas ficam mais propensas
a coisas pequenas do amor
Façam luvas, cachecóis
chás e leite quente pra beber
aquecer o corpo e coração
Te antecipou o ano inteiro para essa estação
juntaste o melhor de ti
juntaste todo o fervor para dividir
olhai as folhas secas espalhadas
não lembram o suor que passara
para estar vivo e pleno no momento
de sentar com quem amas
junta elementos básicos:
cobertor, pantufa e abraços
e espera o tempo passar
eternamente dura três meses
o inverno vem acompanhado do frio
que aquece os namorados
e entristece mais os solitários
não te aborreces
pega uma xícara de chocolate quente
deita no sofá
o Cinema Paradiso vai começar
o frio fica de fora, bate na janela pra entrar
O filme não acaba…
dorme aquecido, feliz em teu leito
o inverno logo vai passar…

Published in: Sem categoria on junho 24, 2010 at 2:01 pm  Deixe um comentário  

Sonho estranho

Um bebê fora jogado na piscina
era um local amável, porém bucólico
ela intolerante pegava meu filho
como uma arma de fogo, atirou ele a morte
Sonhei um sonho estranho,
meus olhos ficaram em estado de choque
ao afogar as mágoas com raiva e corte
jogou o meu amor pra afogar-se
matou meus sentimentos puros, eu dormia
tranquilo na paz de outrora, minha aurora
já não tenho mais, morreu sem chance
meu filho amado, jogado a própria sorte
eu amarrado, soterrado por não prever
suas ações premeditadas
sonhei esse sonho estranho
acordei impressionado,
ao meu lado, como se não houvesse nada
ela apenas sonhava.

Published in: Sem categoria on junho 24, 2010 at 1:37 pm  Deixe um comentário  

Anjo

Seu nome pra mim não importa
nem o seu endereço
o que realmente importa é sentir você
bem perto
faz me sentir bem em sentir você
anjo proteje aquilo que ama
se me ama eu te amo também
porque és anjo vindo do além
de outra dimensão
sem palavras para o descrever
você voa, amigo do vento
és imortal nesse sentimento
Quero sentir você
exatamente o que sente por mim

porque anjo não se apaixona?
é porque ama, é amor
carinho, cheiro, doce
seu vento me faz sentir bem
sussura coisas pra me sentir bem

tenho novidades pra te contar
decepções me faz esquecer
aquecer em teus olhos de luz
nunca estou só, você é anjo
anjo nunca abandona
não maltrata nem trai
é fiel ao sentimento

anjo, seu nome não me interessa
o que me importa é sua companhia
senta ao meu lado e toma um vinho
só eu, você e Deus

Published in: on junho 23, 2010 at 8:02 pm  Comments (1)  

Sinto Muito Paixão

Sinto muito paixão
mas tenho que sair
não posso mais ficar aqui
já voltou pra mim meu coração

Não pertenço mais a você
Me libertaste sem querer
como pássaro na gaiola
com vontade de voar

Sinto muito paixão
tenho que ir embora
juntar os meus pedaços
não adianta dizeres não

Sinto muito paixão
foi eterno enquanto durou
mas nem a eternidade conseguiu
prender este pequeno coração

Sinto muito coração
ter que encontrar outro caminho
procurar no universo
outro peito pra amar

Sinto muito paixão
realmente irei sentir
mas quando lembrarmos deste romance
a felicidade nos irá sorrir

Sinto muito paixão
não foi fagulha
não foi a chuva de verão
não foi só sabor
Foi chama, amor
tudo que vivemos neste tempo
levamos um pedaço de cada um
Levarei o melhor de você
pra mim eternamente

Sinto muito paixão
por ter acabado a nossa história
para um novo recomeço
para voar pra outro alguém
construir um novo ninho

Published in: on junho 23, 2010 at 2:07 pm  Deixe um comentário  

Tempo

Vivemos apenas 5% no presente, outros tantos 95% se dividem entre amores partidos e prestações à pagar.

Published in: on junho 22, 2010 at 4:22 pm  Deixe um comentário  

Am-ar

Am-ar, respiro sem respirar
procurando não achar
pra não me enganar em teu am-ar
não quero mais te enganar
sou am-ar teu voar
pássaro em chamas a flutuar
das nuvens brancas no céu a planar
Am-ar, sobre você querer estar
sentir o calor do seu corpo a me reclamar
quero mais em si, pra mim am-ar

Published in: on junho 22, 2010 at 4:17 pm  Deixe um comentário  

Minha Vó

Sabe, não costumo exacerbar meus sentimentos, fui criado meio xucro, por uma mãe guerreira e uma vó que aprendera com a vida todo seu vasto conhecimento. Minha vó foi de viagem há alguns anos, nem sei quantos, não costumo contar pra não me enganar com viagens sem bilhetes de volta.

A saudade bate seguidamente quando lembro da minha vó, com seus olhos azuis, fora uma grande mulher, sem estudo, criou dez filhos, na sua ignorante condição de vida simples do campo, deu tudo o que pode e não pode para os filhos, não faltou comida, condição de estudar e o valor da honestidade, este último aprendi com ela.

O que mais me bate a porta do coração quando lembro da minha vó é o seu café, quando me ligava como desculpa para ir a sua casa, eu sentava a sua esquerda no sofá moderno e ela sentava em uma poltrona antiga, surrada pelo tempo. O cheiro da sua casa era de coisa antiga, não aquele cheiro de mofo, mas algo bom do tempo antigo. Ela falava sobre tudo e todos: que o meu tio não aparecia, que a violência andava grande, nem tudo eu escutava, confesso, pois ficava em um certo transe, pois sua voz me acalmava e seu café me acolhia, sentia-me bem apenas de estar ali naquele lugar, ela me ligava diretamente a infância onde as preocupações e problemas cotidianos ainda não se faziam presente.

Tenho muita saudade dela, da minha guerreira e amiga que muito me ajudou nas horas que mais precisei, tenho saudade do seu café e do seu pão, de sua voz e de suas problemáticas, saudade do tempo em que encontrava a paz que hoje procuro em outras estradas. Sei que um dia darei um grande abraço nela e tomaremos aquele café. Por tempo, fico na minha solitária saudade lembrando do momento em que estava ali sentada ao meu lado me mostrando seus artesanatos e contando os causos de quando era mais nova.

Onde quer que esteja, um beijo vó!

*Xucro: adj masc. rude, indomado, matuto, bruto.

Published in: on junho 22, 2010 at 3:20 pm  Deixe um comentário  

A Alma Existe?

“A alma é essa coisa que nos pergunta se a alma existe.”_Mário Quintana

Alguém me disse esses dias que a alma não existe, o que existe é um corpo feito de ligações e reações químicas, tipo um reator nuclear, uma máquina que ao acaso do universo se compôs em milhares de anos. Pois bem, somos máquinas, até aí eu concordo, mas é inegável que a alma existe, ou o que é o sofrimento, o amor e a compaixão? Solidão, apego? E os demais sentimentos emanados desta coisa chamada alma? Somos alma seja ela bem intencionada ou não, é alma!

Quando você sofre de amor por alguém ou quando perde um ente querido, quem sofre não são os rins, não é a batata da perna, é alma que supera tudo e se acalanta sempre em outra alma. Somos feitos de algo muito maior que reações químicas, o que são os pensamentos se não produto da alma?

Meu amigo, não venha mais me dizer que alma não existe, sou puramente alma, seja dado o nome que for, sou algo maior que pele, músculos e órgãos, sou isso também mas não só.

Published in: on junho 22, 2010 at 2:24 pm  Deixe um comentário  

Contraplanos

Planejamos tanto, tantas coisas
e não deixamos o acaso da vida tomar conta
quando ele chega estamos nus,
estamos desarmados de planos
pois nunca planejamos os “contraplanos”
neste momento olhamos para o céu
culpamos o divido e o EU pelo tropeço
esquecemos de agradecer pelas oportunidades
de ainda existirem os contraplanos
muitos nem isso mais tem, planos
Contraplanos, dissipamos os ideais
Planos, contraplanos e insanos
no momento mais difícil ficamos
faça os planos, mas nunca esqueça:
os planos são contraplanos
depende do ponto de vista de quem olha
se olharmos mais em volta, voltamos
a ver e rever esses planos
sejam eles também possíveis contraplanos
no fim todo plano tem o mesmo final:
Sejamos!

Published in: on junho 18, 2010 at 6:13 pm  Deixe um comentário